«Ele não quer dançar»: 7 dicas para o convencer.

Muitos homens (cerca de 80%) têm um medo em comum quando pensam no seu dia de casamento: a primeira dança. Manda a tradição que seja o casal recém casado a estrear a pista de dança, mas nem sempre os noivos concordam com essa prática. Os motivos são muitos: uns sentem-se embaraçados com todo o protagonismo do momento, outros admitem ter “pés de chumbo” (desenvoltura zero) e há aqueles que simplesmente não gostam de dançar. (In)felizmente, a maioria das noivas gosta particularmente da dança nupcial, do seu simbolismo e romantismo, e sonha com ela há décadas. E são poucas as que estão dispostas a abdicar desse momento sem remorso. Se está entre esta maioria e gostava que a sua primeira dança durasse mais do que 20 segundos e fosse um momento de harmonia (em vez de um momento de discórdia), este artigo é para si!

Diana Nobre
Foto Diana Nobre
Diana Nobre
Foto Diana Nobre

Hoje, reunimos algumas dicas que vão ajudá-la a convencer a sua cara-metade não só a dançar consigo no dia do seu casamento, como a querer dançar consigo no dia do seu casamento. O truque está nos meses de preparação que antecedem o grande dia. O segredo está no processo de aprendizagem. Não somos nós que o dizemos, são elas, as noivas que recordam até hoje a sua primeira dança como um dos momentos mais felizes da sua vida.

Perceba o porquê!

Comece pela raiz do problema. Procure perceber o motivo da resistência da sua cara-metade. O mais comum é a vergonha. Muitos homens sentem que não têm a coordenação e ritmo necessários para fazer boa figura numa pista de dança. E o que pode parecer a muitas mulheres como um talento inato, algo que se adquire sem esforço (já que costumam ter uma maior sensibilidade para a dança e uma maior coordenação, graças às várias aulas de grupo em que participam assiduamente), é para eles um desafio. Lembre-se que, de um modo geral, os desportos mais populares para os homens são o futebol, o ténis, o jogging, atividades que não exigem ritmo.

Por sentirem que não têm a destreza suficiente para enfrentar uma pista de dança, a maioria receia ter de fazê-lo em frente aos amigos e família. Não compreender essa vergonha (que aqui surge um pouco como medo do ridículo) é minimizar o que a sua cara-metade sente. Ouça o que ele tem a dizer e só depois contraponha com a solução. Eis as sete que lhe propomos:

1. Não espere pelo último minuto para falar do quanto quer que seja especial a primeira dança.

Adiar a discussão não vai ajudar. Seja sincera com relação a este ponto desde o início. Tenha um plano e seja transparente. Escolha o tipo de dança, proponha algumas músicas e crie espaço para que ambos tenham aulas Assim, ambos têm mais espaço para se prepararem. E com o tempo (e as aulas) ele vai sentir-se cada vez mais confortável nesse papel.

Charisma
Foto Charisma

2. Mostre-lhe o quão esse momento é importante para si.

Quando amamos alguém queremos o melhor para eles, queremos fazê-los felizes. Se você mostrar à sua cara-metade como é importante para si ter a sua primeira dança, ele vai sentir-se feliz por poder dar-lhe isso. E enfrentará o medo e a vergonha que pode sentir em relação a isso.

Detail Life Style Photography
Foto Detail Life Style Photography

3. Conheça os pontos fortes dele e use-os a favor de ambos.

A sua primeira dança não precisa de ser uma valsa. Se achar que ele se sentirá melhor com uma dança com passos mais simples, passos que ele reconhecerá mais facilmente e aos quais reagirá melhor, porque não usar isso a favor dos dois? Seja flexível. Escolha algo que deixe os dois confortáveis. O lindy hop é uma boa solução. Mais casual e divertida, é uma dança que exige menos destreza do que uma valsa e um tango, o que deixará o seu parceiro mais descontraído. Fale com a Swing Station para ter aulas. Eles são especialistas na modalidade.

Foto Hélder Couto
Hélder Couto
Foto Hélder Couto

4. Assuma o protagonismo (ou não).

Retire parte da pressão de cima do seu parceiro, assumindo o protagonismo se a dança assim o exigir. Isto significa assumir os movimentos mais difíceis da coreografia. Se, pelo contrário, escolher uma dança mais clássica, deixe-o conduzir. Mais importante, treine! Vão divertir-se tanto nas aulas de dança e nos dias em que treinarem juntos que, no grande dia, a primeira dança será um momento de cumplicidade único. E as melhores fotografias do seu casamento, podem ser precisamente as fotografias da dança nupcial.

Efeito Espontâneo
Foto Efeito Espontâneo

5. Faça planos.

Deixe tudo planeado, tim tim por tim tim. Quando nos sentimos nervosos com alguma coisa, ajuda se soubermos como tudo se vai passar. Por isso, se ele está nervoso com aquela que será a vossa primeira dança enquanto marido e mulher, ajude-o a relaxar mostrando-lhe como tudo se passará. Fale-lhe dos timings, da escolha musical, dos sapatos que convém usar, da duração da música. Informação é poder!

Efeito Espontâneo
Foto Efeito Espontâneo

6. Marque na agenda todos os dias de ensaio e torne-os românticos.

E marque muitos! Estes dias são também novas oportunidades de passar tempo com o seu futuro marido. Dias felizes, portanto. Investigue e descubra as escolas de dança que podem ajudar na preparação de dança. Espreite, por exemplo, a Alunos de Apolo ou a Dance Factory. São escolas com uma boa reputação no mercado e que ensinam de tudo um pouco.

Hélder Couto
Foto Hélder Couto

7. Ame-o!

Nada mais simples. Porque amor com amor se paga. E nada do que fazemos por amor nos custa.

Hélder Couto
Foto Hélder Couto

Siga estes passos e deixe a sua cara-metade mais confortável com a ideia da vossa primeira dança. Reforce a ideia de que o momento não se repetirá e que deve portanto ser vivido. Desfrute do romance.

Contacte as empresas mencionadas na reportagem:

Gostou deste artigo? Partilhe

Dê-nos a sua opinião

Faça gratuitamente e em 2 clicks um site magnífico para o seu casamento.

100% personalizável e com centenas de layouts para escolher Ver mais layouts >

Trabalha no mundo dos casamentos?
Se tem uma empresa de casamentos ou é um profissional, Zankyou ofrece-lhe a oportunidade de divulgar os seus serviços a milhares de casais que nos escolhem para organizar o seu casamento em mais de 19 países. Mais informação