Something Old, Something New, Something Borrowed and Something Blue

De todas as tradições e superstições que possam haver à volta do casamento, para mim esta é a mais bonita e a mais importante, porque normalmente envolve a mãe, a avó, as madrinhas de baptismo, as madrinhas de casamento, as melhores amigas, etc. É um momento íntimo entre pessoas que se adoram e que querem o melhor para a noiva.

A primeira vez que tive conhecimento desta tradição – “Something Old, Something New, Something Borrowed and Something Blue”, foi num filme há muitos anos atrás, era eu pequenina e já sonhava com casamentos, e foi um momento lindo entre a mãe, a melhor amiga e a irmã da noiva, numa grande choradeira e felicidade… Arrepiou-me e guardei aquela imagem para sempre e não vou falhar de certeza no meu casamento… se tiver a sorte de me casar ;)

Fotos e composição de Sofia Novais de Paula

Something Old / Algo Antigo – normalmente é dado pela mãe ou pela avó e a maior parte das vezes é uma joia da família, provavelmente que até tenha sido usado no casamento delas, ou no pedido. Um lencinho ou uma renda também é algo comum.

Something New / Algo Novo – Significa “boa sorte” e um futuro brilhante para a noiva no seu casamento. Pode ser qualquer coisa que seja comprado para o casamento, como o bouquet, as alianças, os sapatos, a lingerie.

Something Borrowed / Algo Emprestado – Um casamento não seria o que é sem a presença da família e dos amigos e por isso vem a tradição de emprestar algo, para mostrar a ligação que existe entre as pessoas.

Something Blue / Algo Azul – Há muitos anos atrás o azul simbolizava pureza e lealdade, fidelidade, modéstia e amor, por isso é que esta cor estava presente nas cerimónias. O azul pode ser o lencinho, a liga, uma das jóias, ou até as cuequinhas da noiva (por exemplo no fim-de-ano dizem que dá sorte passar a meia noite com cuecas azuis bebé… e eu nunca falho ;) )

E assim se completa uma tradição que têm anos e que milhares de mulheres cumpriram e partilharam com as suas mães, amigas, tias, primas, avôs, etc. Mesmo que a sorte não as tenha acompanhado “até que a morte vos separe” e que outros assuntos tenham separado o casal, porque foram mais fortes que a tradição, é sem dúvida um momento único no dia de uma noiva.

Beijinhos,

Sofia


Guest blogger: Sofia Novais de Paula
Consultora de imagem, make-up artist, produtora. Autora do Diário de um Bâton.

 

 

 

É especialista numa área associada à temática do casamento e gostava de escrever na Zankyou Magazine? Contacte-nos.

Dê-nos a sua opinião