Casamento é sinónimo de partilha: a dois ou talvez mais…

Quando organizámos o nosso casamento várias foram as decisões a tomar, como a localização, catering, quem convidar e mais um sem número de coisas. Entre elas estavam também os brindes para os convidados, coisa que se complicou um pouco no momento em que nos apercebemos de que teríamos várias crianças presentes, de diferentes idades e género. Mais difícil ainda foi pensar no que dar aos bebés de colo, afinal de contas ainda interagem pouco e nenhum interesse teriam nas nossas opções para os mais velhos. Sendo certo que nos poderíamos ter abstraído de tudo isto, desde inicio quisemos que tudo naquele dia fosse especial e que esse sentimento transbordasse para amigos que partilhavam daquele momento e neste espírito não se inclui o “dar só por dar”.

Imagem de divulgação das Aldeias SOS (www.aldeias-sos.org)

Casámos em Maio, mês em que é colocado à venda o Pirilampo Mágico e foi então que pensámos, já que os bebés não vão ligar ao brinde, seja ele qual for, porque não oferecer algo que tenha um significado maior e que, além de tudo, vai ajudar alguém. Claro que muitos pais não perceberam a dimensão da nossa ideia, alguns ficaram um pouco pasmos a olhar para o que seria aquela coisa verde e peluda que vinha no saquinho mas para mim foi a melhor sensação do mundo ver o sorriso e o brilho nos olhos do rapaz que os estava a vender quando lhe disse quantos ia levar. Impagável!

Pirilampo Mágico. Foto: Raquel Correia Macias

Quando renovarmos os votos – sim, gostámos tanto de casar que queremos fazê-lo uma e outra vez! – quero estender esta ideia a outras vertentes da organização da cerimónia. E é desta vontade que me chega a inspiração para o texto de hoje. Porque não organizar um casamento solidário? Se o casamento é sinónimo de partilha, que melhor testemunho disso mesmo do que dar aos outros um pouco da nossa felicidade?

Imagem de divulgação LATI (www.lati.pt)

Uma ideia muito fácil de colocar em prática é no que respeita à lista de presentes. Nunca sabemos muito bem onde colocar a lista de casamento – nós, por exemplo, optámos por não ter uma – até porque os gostos das pessoas são sempre muito diferentes e tantas são as vezes em que os noivos já têm a casa equipada ou até já vivem juntos. Em muitos casos os convidados optam por dar dinheiro ou algo mais simbólico ou sentimental.

Imagens de divulgação Terra dos Sonhos (www.terradossonhos.org) e Comunidade Vida e Paz (www.cvidaepaz.pt)

Mas e se colocassem a lista de casamento numa ou várias instituições de solidariedade social? Podem escolher as instituições que gostariam de ajudar ou que mais vos dizem e pedir que as prendas vos sejam dadas em forma de donativo para essas mesmas instituições. Desta forma partilham a vossa alegria e recebem muita mais em retorno, é que não há maior alegria que aquela que vem de fazer alguém feliz.

Divirtam-se a planear porque o casamento é alegria.

Até breve,
Raquel.


Guest blogger: Raquel Correia Macias

Escritora e Stylist. Autora dos blogues RCM, Stylist e Bom Dia Alegria. Siga-a também no facebook e no twitter.

 

 

É especialista numa área associada à temática do casamento e gostava de escrever na Zankyou Magazine? Contacte-nos.

Gostou deste artigo? Partilhe

Dê-nos a sua opinião

Faça gratuitamente e em 2 clicks um site magnífico para o seu casamento.

100% personalizável e com centenas de layouts para escolher Ver mais layouts >

Trabalha no mundo dos casamentos?
Se tem uma empresa de casamentos ou é um profissional, Zankyou ofrece-lhe a oportunidade de divulgar os seus serviços a milhares de casais que nos escolhem para organizar o seu casamento em mais de 19 países. Mais informação