Publicidade
Novo Estado de Emergência - Casamentos em Covid-19Novo Estado de Emergência - Casamentos em Covid-19

Novo Estado de Emergência - Casamentos em Covid-19

Teve que adiar o seu casamento para Janeiro de 2021 e agora com o Estado de Emergência não sabe o que fazer? Não desanime. Neste artigo explicamos a conjuntura atual do novo Estado de Emergência, assim como algumas soluções!

Novo Estado de Emergência - Casamentos em Covid-19
  • Atualidade
  • Conselhos
  • Msn

Perante os números mais recentes e elevados (17.385 casos a 17 de Janeiro) do novo coronavírus SARS-CoV-2, mais conhecido por Covid-19, Portugal encontra-se, desde a meia-noite do dia 14 de Janeiro, em Estado de Emergência.

“celebrações, como Batismos, Crismas e Matrimónios, devem ser suspensas ou adiadas para momento mais oportuno”

Novo Estado de Emergência renovado: regras

De acordo com o decreto aprovado em Conselho de Ministros, apresentamos algumas das medidas em vigor em território continental, com o objetivo de limitar a propagação do vírus:

  • estabelece-se o dever geral de recolhimento domiciliário, exceto para um conjunto de deslocações autorizadas, nomeadamente: aquisição de bens e serviços essenciais, desempenho de atividades profissionais quando não haja lugar a teletrabalho, participação no âmbito da campanha eleitoral ou da eleição do Presidente da República, a frequência de estabelecimentos escolares, o cumprimento de partilha de responsabilidades parentais, entre outros;
  • prevê-se o confinamento obrigatório para pessoas com COVID-19 ou em vigilância ativa;
  • determina-se a obrigatoriedade de adoção do regime de teletrabalho, sempre que as funções em causa o permitam, sem necessidade de acordo das partes, não sendo obrigatório o teletrabalho para os trabalhadores de serviços essenciais;
  • aplica-se o regime excecional e temporário de exercício de direito de voto antecipado para os eleitores que estejam em confinamento obrigatório, nomeadamente os cidadãos residentes em estruturas residenciais para idosos e em outras respostas dedicadas a pessoas idosas;
  • determina-se o encerramento de um alargado conjunto de instalações e estabelecimentos, incluindo atividades culturais e de lazer, atividades desportivas e termas;
  • ficam suspensas as atividades de comércio a retalho e de prestação de serviços em estabelecimentos abertos ao público, com exceção dos estabelecimentos autorizados;
  • prevê-se que os estabelecimentos de restauração e similares funcionem exclusivamente para entrega ao domicílio ou take-away;
  • estabelece-se que os serviços públicos prestam o atendimento presencial por marcação, sendo mantida e reforçada a prestação dos serviços através dos meios digitais e dos centros de contacto;
  • permite-se o funcionamento de feiras e mercados, apenas para venda de produtos alimentares;
  • proíbe-se a realização de celebrações e de outros eventos, à exceção de cerimónias religiosas;
  • permite-se a realização de eventos no âmbito da campanha eleitoral e da eleição do Presidente da República.

Quem não obedecer a estas medidas pode incorrer a uma série de contra-ordenações graves, com o valor da coima a duplicar durante o Estado de Emergência.

Podem ser celebrados casamentos durante o Estado de Emergência?

O conselho da Conferência Episcopal é o seguinte: “celebrações, como Batismos, Crismas e Matrimónios, devem ser suspensas ou adiadas para momento mais oportuno” à parte das Eucaristias e enterros, que continuarão mediante um conjunto de medidas sanitárias impostas.

Não quer perder as últimas novidades para o seu casamento?

Subscreva a nossa newsletter

Mas não desanime! Até notícia em contrário, após o fim do Estado de Emergência, as cerimónia acima mencionada poderão decorrer novamente, mediante regras sanitárias. Relembre-mos algumas!

Casar em tempos de pandemia: como fazer?

De acordo com o disposto no nº2 do artigo 13.º da Resolução do Conselho de Ministros nº88-A/2020,”Eventos de natureza familiar, incluindo casamentos e batizados, quer quanto às cerimónias civis ou religiosas, quer quanto aos demais eventos comemorativos, não sendo permitida uma aglomeração de pessoas em número superior a 50 pessoas” . Este limite tem uma excepção: casamentos que foram agendados até às 23h59 do dia 14 de outubro de 2020, mediante comprovativo da entidade que celebra.

À parte destas regras, impõe-se também as de natureza civil e comportamental, como a etiqueta respiratória:

  • Cobrir a boca e o nariz ao espirrar ou tossir, com o braço ou antebraço, na ausência de um lenço;
  • Usar um lenço de uso único para conter as secreções respiratórias e colocá-lo de seguida no lixo;
  • Lavar as mãos com água e sabão, principalmente após o contacto com as secreções respiratórias e / ou gotículas;
  • Após contacto das mãos com secreções ou gotículas deve evitar tocar nas superfícies de toque frequente, por exemplo portas, puxadores das portas, mesas, balcões, corrimões antes de lavar as mãos;
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca;
  • Evitar contacto próximo (inferior a 2 metros) com pessoas que estão doentes.

Espaços para copo de água: como escolher?

Considerando o estado pandemico atual e, relembramos, após o fim do Estado de Emergência, aconselhamos a escolha de espaços com bastante natureza, para que possa aproveitar o seu dia e os seus convidados com menos preocupações. A Zankyou dispõe de várias quintas e espaços abertos para o ajudar nesta missão: dê uma vista de olhos aqui!

E a animação do evento?

Se o distanciamento social for respeitado, assim como a norma de entrada e saída dos espaços, pode animar o seu casamento como desejar: com muita música, fotografias e amor!

Opções de casamento sem adiar a data?

Ainda assim, se a sua opção é casar durante a pandemia (pós Estado de Emergência)?

Procurámos e encontramos algumas histórias inspiradoras:

casamento, altar, noivos, covid-19, igreja

Foto: Bruno Garcez Photography

Para mais informações sobre como casar em tempos de Covid-19, leia o artigo Zankyou completo em: Covid-19 e os casamentos: os esclarecimentos da DGS e o impacto do novo corona vírus no sector