Cláudia & Telmo: um amor celebrado num convento do século XVIII

A Cláudia e o Telmo casaram no ano passado, em Setembro no Convento da Alpendurada, depois de um romântico – e clássico – pedido de casamento em Paris! Um café transformado em jantar foi o “click” para iniciar uma bonita relação, hoje contam-nos tudo sobre a sua história e como foi o seu casamento, ilustrado por Rita Rocha Photography.

Como se conheceram? Como foi o pedido de casamento?

Conhecemo-nos enquanto trabalhávamos no mesmo hospital, mas só nos “conhecemos” mais tarde, após nos termos cruzado na rua, já várias semanas depois da Cláudia estar a trabalhar noutro sítio. Nessa altura trocamos números de telemóvel e marcamos café… que se tornou em jantar!

O pedido foi durante uma viagem a Paris, mais propriamente no dia em que visitamos o Palácio e Jardins de Versailles, um local lindíssimo. O pedido foi feito enquanto assistíamos a um espectáculo de água/música no Bassin du Miroir sentados num banco de pedra à entrada do Jardin du Roi.

Realizaram alguma sessão antes ou depois do casamento? Se sim,como foi?

Sim, fizemos uma sessão antes do casamento com a nossa fotógrafa – sessão inLove. Inicialmente estávamos muito desconfortáveis com a ‘máquina’, mas a Rita ajudou-nos a relaxar e a aproveitar o momento… e no final já parecia que tínhamos saído com uma amiga para ir passear nos jardins do Palácio de Cristal!

Foi muito importante para conhecermos a forma de estar e de trabalhar da Rita, o que sem dúvida fez toda a diferença para o dia do casamento, em que tudo fluiu com mais naturalidade.

Como foi a organização do casamento?

O casamento foi organizado essencialmente por nós, desde os convites, a decoração da igreja e do espaço e as lanternas que lançamos no final da noite. Começamos por procurar um espaço que correspondesse a alguns pontos que consideramos desde o início essenciais – dado a família de ambos viver distante entre si.  Esses eram: que ficasse a ‘meio caminho’ para ambas as famílias, que tivesse igreja porque queríamos fazer um casamento religioso e fornecesse alojamento. O Convento de Alpendurada foi assim a primeira escolha, pelo qual nos apaixonámos quando visitámos!

A escolha do fotógrafo e da animação surgiram logo depois da escolha do local.

Procuramos acima de tudo pessoas que nos deixassem à vontade, que compreendessem que pretendíamos acima de tudo divertimo-nos no nosso dia e celebrar com a nossa família e amigos.

Qual a escolha mais difícil e mais fácil?

A escolha mais fácil foi sem dúvida a escolha do local: amor à primeira vista! Podemos dizer que o mais difícil foi encontrar um fotógrafo que correspondesse às nossas expectativas e que percebesse aquilo que pretendíamos para o nosso dia. Apesar da procura difícil inicial, foi sem dúvida também uma escolha fácil, assim que vimos/encontramos o trabalho da Rita. E depois da primeira reunião ficamos muitíssimo mais descansados por que tínhamos encontrado a nossa fotógrafa!

Tiveram ajuda?

Durante todo o processo fizemos questão de organizar e tratar ao máximo de tudo que podíamos: afinal era o nosso dia que queríamos partilhar com as nossas famílias. Tivemos – e quisemos – ter sempre “por perto” os padrinhos e a família mais próxima para que estivessem minimamente a par de toda a cerimónia e do dia. Só nos últimos dias/semanas é que tivemos necessidade de pedir ajuda para alguns recados. Tivemos ajuda preciosa das irmãs da Cláudia para a decoração do espaço: achamos que têm imenso jeito na decoração e não nos arrependemos minimamente – ficou tal como tínhamos imaginado.

Onde foram buscar inspiração? Consultaram Blogs, revistas?

Assim que foi feito o pedido e depois de regressarmos a Portugal começou a busca de toda a informação que queríamos. Fomos aconselhados por familiares e amigos mais próximos sobre alguma questões importantes como negociações de contratos e escolhas de sítios e pessoas com quem trabalhar. Fizemos imensa pesquisa online. Utilizamos muitos blogs sobre casamentos com imensa informação e ajudou imenso nas longas horas que passamos em frente ao computador. No início ainda tentamos recorrer a revistas em formato de papel mas pusemos logo a ideia de lado fruto do custo expressivo para a sua aquisição e também, pelo fácil acesso à mesma informação através dos blogs disponíveis na internet.

Tema do casamento?

Não definimos um tema para o nosso casamento. Queríamos essencialmente que o nosso dia fosse um dia de descontracção, alegria e de união entre as duas famílias. Temos famílias bastante descontraídas e divertidas, o que ajudou muito. Foi nossa intenção aproveitar o dia ao máximo e permitir um dia de festa e alegria às nossas famílias. Ao longo dos anos fomos ouvindo histórias sobre coisas que correram mal em outros casamentos (quer de familiares ou amigos) e também fomos a muitos e opinamos sobre aquilo que gostamos e sobre aquilo que desgostamos. Fizemos questão de o dizer sempre a todos aqueles que nos acompanharam: desde a quinta, fotógrafa e animação. Procuramos mesmo aproveitar o dia: dançar, rir, comer, celebrar e partilhar toda a alegria de um dia tão importante.

Como foi o grande dia?

Deu-nos imenso trabalho a preparar “o dia”. Fizemos questão disso e quando esse dia chegou estávamos com a expectativa que corresse tudo bem. Muitos foram os cenários de “desastre” que imaginamos e que, agora que olhamos para trás, dão vontade de rir:

As meninas das alianças desatarem num surto de choro e berros e nem chegarem com as alianças e adereços ao altar; Má disposição do padre que nos deixasse mais nervosos do que já estávamos; Chover torrencialmente e não haver oportunidade para aproveitar um espaço tão bonito; Acontecer algum problema de saúde a algum dos convidados durante o dia; Algum problema com a comida ou o catering;

Foram muitos os cenários que imaginamos que podiam correr mal, que na altura brincávamos mas que tínhamos medo que acontecesse!

Nada disso aconteceu: foi um dia perfeito – tal como imaginávamos. Tivemos muita sorte com o tempo que estava e graças às pessoas que estavam a trabalhar connosco, tudo fluiu melhor do que esperávamos.

A Rita o Manel e a sua equipa foram fantásticos: relaxados e descontraídos transmitiram-nos uma serenidade que nos ajudou a aproveitar o dia e a tirar fotos maravilhosas – apesar dos modelos não serem grande pistola. A Estefânia do Convento de Alpendurada foi outra maravilha no nosso dia. Esteve sempre por perto e nunca deixou que nos faltasse nada. Tudo correu conforme planeado. Olhando para trás podemos dizer que ao confiar nas pessoas que estavam a trabalhar connosco, tirou-nos um enorme peso dos nossos ombros e permitiu-nos aproveitar realmente o nosso dia: há fotos e imagens do dia que não nos apercebemos porque estávamos relaxados e felizes. Convidados nossos ficaram maravilhados com o Convento de Alpendurada e com a comida que era maravilhosa. Adoraram ainda a música da igreja feita pelos Glissandi!

Enfim: podíamos continuar a elogiar o trabalho de todos que nos acompanharam. Foi muito graças a eles que nós e a nossa família podemos viver este dia tão importante de forma tão especial!

Se pudessem, mudavam algo?

Algumas coisas podiam ter sido organizadas ou terem corrido de forma diferente… mas vendo o resultado final, não mudávamos nada: foi o nosso dia!

Lua-de-mel?

A lua de mel foi bastante especial. Fomos nós que também preparamos. Era um desejo nosso visitar a ilhas gregas: assim foi. Apesar de existirem muitas opções para visitar a região por cruzeiro, achamos que iríamos estar bastante limitados para podermos visitar e explorar. Conseguimos ir às ilhas de Milos, Santorini e Mikonos. No inicio ainda visitamos Atenas e no final passamos por Roma. Foram umas férias de sonho. Tivemos de tudo um pouco: sol, praia, caminhadas, por do sol, comida boa, ambiente relaxado, locais para visitar… Sem dúvida uma viagem a repetir mais tarde.

Fornecedores de Casamento: 

Espaço: Convento de Alpendurada | Fotografia e vídeo: Rita Rocha Photography | Música da cerimónia: Glissandi | Animação: Feedback Produções | Make-up e Hairstyling: A Leonor, MaquilhArte Atelier | Vestido: AireBarcelona – loja Amour Glamour – Noivos de Gondomar, Porto | Fato: loja Amour Glamour – Noivos de Gondomar, Porto | Alianças: Lugar da Jóia, Porto

Contacte com as empresas mencionadas neste artigo

Dê-nos a sua opinião

Fotografia:: The Storytellers
Isabel & Pedro: a magia de um romance de Hollywood numa paixão da vida real
Serenatas, pedidos de joelhos e passeios à beira-mar... Assim é a paixão de Isabel e Pedro: um amor evidente e contagiante!
Foto: João Almeida. Maquilhagem: Jenny Makeup Land
As melhores maquilhadoras do Porto que maravilharam as noivas da Zankyou
Num dia que gira em torno da beleza, da sofisticação e requinte inerente a todos os aspetos da cerimónia, a noiva é uma das grandes protagonistas. Solicite informação grátis e sem compromisso!
Mary Me Eventos. Créfitos: João Almeida
Ana & Rinaldo: Uma história de amor como poucas
Num ambiente onde a elegância e o estilo campestre primaram de uma forma harmoniosa, os noivos viveram mais um dia na sua história de amor

Faça gratuitamente e em 2 clicks um site magnífico para o seu casamento.

100% personalizável e com centenas de layouts para escolher Ver mais layouts >

A sua empresa também pode estar na Zankyou!
Se tem uma empresa de casamentos ou é um profissional do sector, Zankyou oferece-lhe a oportunidade de divulgar os seus serviços a milhares de casais que nos escolhem para organizar o seu casamento em 23 países. Mais informação