Pai de Meghan Markle não vai estar presente no casamento do próximo sábado

Pai de Meghan Markle não vai estar presente no casamento do próximo sábado

A poucos dias do casamento real, a grande pergunta é: quem levará Meghan Markle ao altar daqui a quatro dias?

  • Celebridades
  • Tapete vermelho
  • Reino Unido

A poucos dias do casamento real, a grande pergunta é: quem levará Meghan Markle ao altar? Tudo porque o pai da ex-atriz não irá marcar presença no casamento da filha, que irá decorrer já no próximo sábado, dia 19 de maio. Foi o próprio quem revelou a notícia ao site TMZ, após a polémica em que se viu envolvido, relativamente a umas fotografias combinadas com um paparazzi.

guardar
Foto via Instagram @kensingtonroyal

Thomas Markle deveria chegar esta semana ao Reino Unido para levar a filha ao altar, bem como para conhecer a família real britânica e o próprio Harry, que ainda não conhece o futuro sogro. No entanto, e depois de nos últimos dias terem circulado várias imagens do pai da ex-atriz naquilo que seria um esquema montando com um paparazzi, Thomas diz não querer prejudicar a filha, nem a família do príncipe, confessando-se “envergonhado” pelo que fez.

guardar
Foto via Instagram @kensingtonroyal

As imagens divulgadas teriam o propósito de demonstrar o empenho do pai de Meghan em estar au point para o grande passo que a filha irá dar já no próximo sábado. Numa primeira foto, no início de abril, Thomas, que vive Rosarito Beach, Mexico, teria sido apanhado num Starbucks local a ler um livro sobre monumentos britânicos, para dar a entender que estaria a inteirar-se sobre a história do país que irá ser o novo lar de Meghan. Foi também apanhado a fazer exercício e, já em maio – e após ter sido anunciado que seria ele a conduzir a futura mulher de Harry ao altar – a tirar medidas para um fato, naquilo que foi entendido como uma prova para o casamento real.

guardar
Foto D.R.
guardar
Foto D.R.
guardar
Foto D.R.

Acontece que, segundo o Daily Mail, as fotografias eram “falsas”, pois foram encenadas e combinadas com um conhecido paparazzi britânico, Jeff Rayner, tendo rendido a Thomas mais de 100 mil euros. O esquema acabou por ser descoberto por causa de uma outra imagem divulgada, onde se vê o pai sentado numa mesa de um cibercafé, com o computador em frente, a ver fotografias da sua filha e do noivo num computador.

guardar
Foto D.R.

Não quer perder as últimas novidades para o seu casamento?

Subscreva a nossa newsletter

A gerente do café, Jessica Anaya, contou àquela publicação como as imagens foram encenadas, revelando que os dois homens estavam a menos de dois metros de distância quando as fotografias foram tiradas. “O homem e o fotógrafo chegaram juntos. Não ficaram muito tempo. Provavelmente uns 10 minutos. E saíram juntos. Achei estranho estarem a tirar fotografias aqui”, contou ao jornal.

De qualquer forma – e apesar de Thomas ter admitido o negócio e ter-se mostrado arrependido, anunciando que ia pedir desculpas à filha – após ter ser divulgada a verdade relativa às imagens, a meia-irmã de  Meghan, Samantha, veio assumir perante o meios ter sido ela a sugerir ao pai o acordo com o paparazzi, alegando que queria apresentar uma imagem “positiva” do seu pai. “Os media foram injustos com ele, dando uma má imagem, e eu sugeri que ele fizesse fotos positivas para seu benefício e benefício da família real”, declarou.

O próprio Thomas revelou ao site TMZ que nunca teve intenção de magoar a filha ou a família real britânica e que o que fez nem sequer terá sido pelo dinheiro, mas sim para melhorar a sua imagem pública. Revelou ainda ter sofrido um ataque cardíaco há seis dias atrás.

A reação da Família Real

O Palácio de Kensington já reagiu à notícia de que Thomas Markle não irá estar presente no casamento através do comunicado de um porta-voz oficial, que afirma que “Este é um momento muito pessoal para Meghan Markle uns dias antes do seu casamento”, acrescentando que “A noiva e o príncipe Harry pedem que a compreensão e respeito por eles se aplique também a Thomas Markle nesta situação complicada“.

guardar
Foto via Instagram @kensingtonroyal

Quem irá, então, conduzir Meghan Markle ao altar? 

Uma das hipóteses – e eventualmente a mais provável – é ser Doria Ragland, a mãe da noiva, a conduzi-la ao altar. É sabido que as duas são bastante próximas e que Ragland já conheceu Harry, que chegou dizer em entrevista que a sua futura sogra era “fantástica“.

Outra possibilidade recai no pai do noivo, o príncipe Carlos, sobretudo porque não estará ocupado com nenhuma outra função particularmente determinante durante a cerimónia, tendo já demonstrado estar ansioso pelo grande dia. Também poderá ser o cunhado, William, uma vez que, em 1960, aconteceu algo similar: a princesa Margaret casou com Antony Armstrong-Jones e foi o irmão deste, Filipe, que a acompanhou ao altar, já que o seu pai tinha falecido alguns anos antes. De qualquer forma, esta será uma hipótese pouco provável, já que o filho mais novo de Diana e Carlos será o padrinho de Harry, entre outras funções.

Meghan também poderia fazer-se acompanhar pelo avô de Harry, mas será pouco provável, já que Filipe foi recentemente operado à anca e não deve fazer grandes esforços. Por fim, é também possível que Meghan caminhe sozinha até junto de Harry, para oficializar o seu amor.

guardar
Foto via IG @meghanmarkleimages

De qualquer forma, a noiva real ainda tem esperanças de caminhar até ao altar de braço dado com o pai, daqui a quatro dias. De acordo com o jornal Telegraph, Meghan ainda está a tentar convencer o pai a voltar atrás com a sua decisão.

Talvez também lhe interesse: