Casamento sem crianças: 5 formas educadas de dizê-lo aos seus convidados

Casamento sem crianças: 5 formas educadas de dizê-lo aos seus convidados

Se pretende que o seu casamento não tenha a presença de crianças, deve saber como dizê-lo aos seus amigos, sem que eles fiquem ofendidos. Damos-lhe 5 dicas para evitar conflitos e usufruir da sua boda em pleno

Casamento sem crianças: 5 formas educadas de dizê-lo aos seus convidados
  • A Celebração
  • Conselhos
  • Msn
  • Crianças

Convidar os filhos pequenos dos seus convidados, sim ou não? É um dilema já conhecido! De certeza que na hora de fazer a lista de convidados do seu casamento deve ter ponderado se haveria (ou não) de incluir crianças. Há quem ache que os miúdos dão vida a qualquer festa. Muitos até suscitam ternura e são vistos como o resultado do amor. Mas há também quem não aprecie a ideia de ver uma criança a fazer birras, a correr e a deixar cair qualquer coisa ao chão, no dia mais importante da sua vida. Ambos os pontos de vista são de respeitar. Mas se optar por deixar de lado as crianças, tem de ter algum tato na hora de comunicá-lo aos pais. O ideal é informá-lo atempadamente para que os seus convidados tenham tempo para se organizarem, de modo a deixarem os filhos com alguém, no Grande Dia.

Entretanto, fique com as cinco formas educadas de avisar os seus convidados que a sua boda não inclui crianças.

guardarJoão Almeida
Foto: João Almeida

No Save the Date

Mesmo antes do convite, aproveite o Save the Date para passar a informação. Pode ser de forma subtil, deixando algum sinal. Como já deve ter ouvido, “para bom entendedor, meia palavra basta”. Claro que não deverá dizer logo “o teu filho não pode entrar”, mas sim alguma ideia, tipo “livra-te de birras e vem celebrar connosco sem limites nem preocupações”. Essa mensagem pode não querer dizer definitivamente que não podem levar os filhos, mas ficarão com a “pulga atrás da orelha”. Se lhe ligarem, explique-lhes diplomaticamente que a ideia é mesmo essa – divertirem-se sem estarem sempre preocupados com os miúdos -. Como com o Save the Date os seus convidados são avisados com muito tempo de antecedência, não será problemático para eles arranjarem onde deixar os filhos.

guardar
Maria Bianca

Pessoalmente

O cara-a-cara pode ser muito vantajoso, porque dá ideia de maior transparência e assim você pode esclarecer qualquer má interpretação. De certeza que se ouvirem o seu ponto de vista e tom de voz (suave e delicado), não haverá problema nenhum. Se calhar, até a compreendem bem e concordam consigo. Quem sabe até não lhes fez um favor! É provável que os seus convidados também queiram”gozar” de algum tempo sozinhos, sem birras, choradeiras ou asneiras. Você está a dar-lhes essa oportunidade. Se for convincente, o próximo que vier a casar, até pode acolher a sua ideia e fazer o mesmo. E você preocupada em ofender… Pense nisso!

Não quer perder as últimas novidades para o seu casamento?

Subscreva a nossa newsletter

guardarJoão Almeida
Foto: João Almeida

No convite

Tal como no Save the Date, você pode aproveitar já o convite para informar que “estão proibidas crianças” no seu casamento. Quem sabe até não faça uma graça, ilustrando uma parte do convite com algo que transmita precisamente a ideia que pretende? Imagine um sinal de proibição com a cara de uma criança chorona por trás, no canto superior direito do convite. Os seus convidados vão perceber de imediato a sua ideia, respeitar e até sorrir. Experimente!

guardarLuís Efigénio Photography
Foto: Luís Efigénio Photography

Por telefone

Se não tiver coragem de o dizer pessoalmente e não encontrar a maneira ideal de o comunicar no Save The Date ou no convite, sugerimos que o faça por telefone, na altura de confirmar as presenças. Como se quem não quer a coisa, diga-lhes “ah, é verdade, é uma boda child free”. Se não entenderem, transmita-lhes a ideia de que se trata de um conceito que está na moda. Tal como há as bodas álcool free (sem álcool), também há as sem crianças, sem animais ou sem carne. Acontece que a sua é “sem miúdos”. Eles vão perceber que não é nada pessoal e aceitar o “conceito” da sua boda, sem contestar.

guardarJoão Almeida
Foto: João Almeida

No seu site ou página da rede social

Se você não quer passar como “Teratofóbica” (medo de crianças), pode escrever na sua página do Facebook ou no seu site de casamento (se o tiver) que não é suposto levar-se crianças, porque são as regras do espaço onde vai decorrer o casamento. Exemplo: “devido ao horário do casamento e às características do local, lembramos que este é uma festa não adaptada aos menores”. Os casamentos nem sempre acontecem em lugares apropriados para crianças, já que têm piscinas, riachos ou fontes que podem ser um perigo. Há também sítios com escadas íngremes, ou com jardins muito grandes, onde até poderiam sofrer um acidente ou perder-se. Mesmo a decoração com velas torna-se perigosa para os miúdos. Estamos a ser fatalistas? Talvez, mas lembre-se que devemos prever tudo o que pode alterar o desenvolvimento perfeito do casamento.

guardar
Maria Bianca

Seja de que maneira for, o importante é que você passe a ideia, sem ofender. Assim, até a vão compreender e, quem sabe, imitar quando chegar o Grande Dia deles (sim, porque lá por terem filhos, não quer dizer que sejam casados). Não tenha medo de ser rotulada de “anti-crianças”.

Não seria mal pensado conhecer as vantagens e inconveniente de um casamento com crianças. E para o caso de mudar de ideias, saber como decorar a mesa das crianças no seu casamento em cinco passos e bem como outros aspetos importantes para que lhe explicamos neste vídeo:

Contacte com as empresas mencionadas neste artigo

João Almeida Fotógrafos e vídeo
Jaime Neto Photography Fotógrafos e vídeo
Luis Efigénio Photography Fotógrafos e vídeo

Dê-nos a sua opinião

Lista de casamentos Zankyou. Receba 100% dos seus presentes em dinheiro!