Dicas para conciliar o trabalho com a chegada de um bebé

Olá a todos! Para quem não me conhece ainda, sou a Carmo, conhecida também por MU. Tenho 31 anos, sou Mãe do Manuel com três anos e do Fernando com 7 meses, criadora do Mu blog (blogue de maternidade) e fotógrafa profissional.

Carmo Sousa Lara
Manuel & Fernando

É com enorme alegria que escrevo para esta família, a Zankyou! Foi aqui, onde tudo começou no meu caminho como Noiva, foi aqui que nos mostrámos aos nossos convidados e fizemos a nossa lista de casamento, é sempre tão reconfortante voltar aonde já fomos felizes, obrigada pelo convite.

A Zankyou desafiou-me a falar-vos sobre como conseguir conciliar o nosso trabalho com a chegada de um bebé e com o/s que já cá andam.

Na verdade, não é nada fácil, mas é possível!

A chegada de um bebé, ao contrário do que muita vezes se diz, é um momento – sim! – de enorme alegria, de uma concretização vocacional enorme, desmedida mesmo. É um explodir de emoções, é um amor que cresce de dia para dia, é algo que não nos cabe no coração por ser tão sagrado, um dom tão grade.

Mas é, também, uma fase cheia de novos desafios, novas adaptações, novas horas, novas dinâmicas, novos costumes, de poucas horas de sono, de choro, de pouco tempo de sobra, de abdicar do que fazíamos antes ou, pelo menos, da maneira como fazíamos antes e aprender a redefinir, realinhar, fazer de uma nova outra forma e descobrir alegria nisso.

É preciso saber estar atenta a todas as necessidades do bebé, do marido, dos outros filhos, da casa (o caos da casa), e não menos importante, pelo contrário… de nós!

Nós!

Estamos a recuperar de um parto, que por si só já é algo tão avassalador, logo depois chega a subida de leite, logo a seguir as mamadas curtas, as noites mal dormidas, e tudo isto é muito exigente física e psicologicamente para as Mulheres.

As hormonas transtornadas (há quem lhe chame babyblues), dias de muito choro, outros de muitos sorrisos também.

É preciso de tempo para habituar às mudanças, recuperar.

É preciso olharmos por nós, gerir tudo o que está a acontecer à nossa volta, repartir atenções.

No meio de todo este mundo que acontece nas nossas vidas, e que congela pelo menos durante este primeiro mês, existe o nosso trabalho.

E no caso de trabalhadores por conta própria, freelancers, como eu, o caso ganha uma gestão difícil, mas não impossível.

E é aqui que vos quero ajudar.

A primeira dica é: Organização!
Muita organização.

Nós somos os nossos patrões e os nossos empregados.
Nós definimos o nosso horário, como, onde e quando queremos trabalhar.
Isto é bom e mau, como tudo.

Se não formos muito metódicos e organizados é fácil deixar entrar o caos. Chegam emails a toda a hora, clientes com pedidos, orçamentos para enviar, produtos a fotografar, a divulgar, e quando damos por nós, sentimos que não conseguimos dar resposta a tudo.

Foto via Instagram @mu_blog
Foto via Instagram @mu_blog

Para simplificar e ajudar todos os que passam pelo mesmo. aqui ficam as minhas dicas para não perdermos o “fio à meada” e conseguirmos manter o nosso negócio de pé.

1. Organização

Planear semanalmente o que é preciso fazer para o nosso negócio: verificar se precisamos de agendar reuniões, encontros; se precisamos de visitar algum lugar, definir quantos posts vamos escrever para os blogues / redes sociais, quais os temas, fotografias, sessões… Ou seja, organizar e delinear semanalmente a nossa agenda, os nossos compromissos e os nossos deveres.

2. Mantermo-nos ativos nas redes sociais

As redes sociais são a nossa cara.  Muitas vezes é a partir de alguma delas que chega um cliente, um patrocinador, um interessado. É ali, onde antes de chegarem concretamente até nós, nos vão conhecer e vão ter a primeira (e essencial) impressão sobre nós. É necessário não desaparecermos! Manter os feeds (bem) atualizados e ir publicando. Não é necessário um over-posting, nem publicar “lixo”, mas algo que transmita que nos preocupamos com quem nos acompanha e que estamos por ali. Isto vai fazer com que os clientes não deixem de chegar com o abrandar do fluxo de trabalho devido à chegada de um rebento. É muito importante manter os nossos clientes interessados em nós. E para isso temos de estar ativos.

3. Aproveitar as sestas para trabalhar

Como disse, não é nada fácil conciliar a chegada de um ser tão pequenino com o nosso trabalho. Apesar de tudo, vão chegar muitos dias em que não conseguimos concretizar nada, não fiquem frustrados com isso, é normal e frequente! Muitas Mães diziam-me: “Aproveita a sesta do bebé para dormir também”e a verdade é que o gostaria e precisaria de o fazer, quase todos os dias. Mas nem sempre é possível, porque dentro de toda a logística de tratar da casa (que nunca tem fim) máquinas da roupa, limpezas, cozinha, fazer camas, apanhar brinquedos, mais um bebé pequenino totalmente dependente de nós e dos nossos braços, poucos são os dias em que sobra tempo livre, isso não acontece! E, por isso, quem tem trabalhos por conta própria é o meu herói, porque essas Mães e pessoas têm de sacrificar tempo precioso para ou cuidar da casa (quem não tem ajudas) ou cuidar dos filhos. É no momento das sestas que encontramos uma hora, por vezes, para escrever, responder a emails, enviar orçamentos, editar fotografias, etc…

4. Quando possível, envolver os filhos no nosso trabalho

Nem sempre é fácil nem possível, mas entendi por experiência que, quando se tem mesmo necessidade urgente em trabalhar, entregar alguma sessão, responder ou falar com algum cliente e em simultâneo estar com os filhos, é mais fácil juntá-los do que obrigá-los a estarem em silêncio. Então quando isso é mesmo necessário acontecer, trago um filho para o colo e ele ajuda-me enquanto estou ao computador, ou fica a fazer um desenho sentado ao meu colo. Até já foi ocasionalmente fotografar comigo ou a uma reunião. Eles adoram conhecer os nossos trabalhos, perceber o que fazemos e serem os nossos mini ajudantes.

Foto via Facebook @mublog.pt

5. Separar com clareza tempo de família e tempo de trabalho

Apesar de ter escrito o ponto anterior, creio que é muito importante saber separar as águas e os momentos, isto é, o que é tempo em família, é tempo em família e é inviolável. É muito importante saber nesses momentos guardar o telefone, evitar a tentação dos posts nas redes, respostas rápida aos emails. Assim, quando estiverem a trabalhar, nem que seja apenas 1 hora só, essa hora vai render muito melhor, porque quando estiverem a trabalhar, organizem de maneira a estarem 100% focados e esse tempo render e multiplicar-se. Evitem fazer constantemente as duas coisas, porque regra geral não dá certo.

6. Ser feliz naquilo que se faz

Acredito que se não fosse totalmente apaixonada pelo que faço não seria feliz. Ter o meu próprio negócio foi uma decisão muito ponderada, em casal, porque se correm muitos riscos, é preciso tempo, não temos algumas regalias (temos outras…) há muita incerteza, também financeira, e é um trabalho, muitas vezes ao contrário do que se pensa, muito exigente. O nosso telefone toca sempre e sem horas, os clientes enviam mensagens quando estamos a entrar na cama e querem respostas imediatas, temos sempre mais e mais a fazer, pelo bem do nosso negócio, nunca paramos, não há hora de entrada nem de saída, e se não nos “esfolarmos” ninguém o faz por nós. Se não tivermos muita paixão e um amor muito grande ao que fazemos tudo ficará mais difícil e acredito que nos tornemos rápido em pessoas infelizes. Amar a camisola, ter gosto, prazer e muita alegria no que fazemos é meio caminho andando para sermos realizados e felizes naquele que foi o lugar onde escolhemos estar e criar. A recompensa chegará.

Foto via Facebook @mublog.pt

7. Por último, pedir ou ter ajudas

Este é o ponto mais difícil e complicado para mim, mas sei também, um dos mais essenciais e precisos – ajuda!!! A quem tiver ajuda e rede familiar: aproveitem ao máximo! Entreguem os vossos filhos à vossa rede familiar, amigos, consigam ganhar algum tempo para colocar o vosso trabalho em dia. Não tenham medo de pedir ajuda, porque ela é essencial. Aceitem esta ajuda para conseguir todos os pontos acima possíveis e torná-los menos pesados para vocês, porque aqui deste lado, por experiência, é uma carga por vezes pesada… mas com muito amor, tudo se faz!

Espero de coração que estes pontos vos tenham ajudado. Sobretudo aproveitem muito os vossos bebés, a vossa família e vão gerindo sempre que possível com o máximo equilíbrio possível. Não somos super-mulheres, há dias maus e há que aproveitar e agradecer os bons. Acreditem no que fazem, porque sempre que acreditarem em vocês, e em que cada um é um ser único e especial, acontecem coisas lindas e mágicas.

Visitem o Mu blog, se gostarem, em www.mublog.pt e o instagram mu_blog onde estou diariamente presente. Também no facebook.com/mublog.pt.

Obrigada uma vez mais à Zankyou e um beijinho muito especial a quem me leu até aqui.

Dê-nos a sua opinião

Momento Cativo
Cozinhar a dois: uma prática a adotar pelos casais & uma receita saudável!
Uma proposta saudável para cozinhar em conjunto com a sua cara-metade por Senasaudáveis: faça com que a faísca da sua relação cresça da maneira mais benéfica para a sua saúde!
Conselhos para manter a saúde mental durante os preparativos do casamento
Conselhos para manter a saúde mental durante os preparativos do casamento
Cada noiva merece ter um dia incrível, mas a sua saúde emocional é ainda mais importante. Se acredita que está a chegar ao ponto de enlouquecer, respire fundo e leias as dicas de Bianca Oliveira!
6 temas que devem ser evitados durante as reuniões familiares nesta quadra natalícia
6 temas que devem ser evitados durante as reuniões familiares nesta quadra natalícia
Porque às vezes, a melhor opção é falar de coisas positivas ou simplesmente comer para que nada destrua o bom ambiente que se vive à mesa.

Faça gratuitamente e em 2 clicks um site magnífico para o seu casamento.

100% personalizável e com centenas de layouts para escolher Ver mais layouts >

A sua empresa também pode estar na Zankyou!
Se tem uma empresa de casamentos ou é um profissional do sector, Zankyou oferece-lhe a oportunidade de divulgar os seus serviços a milhares de casais que nos escolhem para organizar o seu casamento em 23 países. Mais informação