Um casamento Disney + duas noivas lutadoras = uma história única de amor

Sendo grandes fãs do mundo da Disney, quando decidiram casar as japonesas Haru e Ryu sabiam muito bem onde queriam que fosse o seu casamento: no Tokyo DisneySeaNo entanto, durante os seus 13 anos de relacionamento, o medo da rejeição das famílias continuou a assombrar a sua bonita história de amor. Se fossem a Ana e a Elsa, as suas personagens favoritas que acabaram por encarnar no seu grande dia, talvez tudo pudesse ser mais fácil, com a ajuda da magia das histórias de encantar. Mas no mundo real, muito se passou antes de dizerem o “Sim”. Tanto que demoraram mais de uma década a concretizar o seu sonho e a ter o seu final feliz…

Rolloid
Foto: Rolloid

O principal responsável deste compasso de espera foi o medo. Com efeito, Ryu receava contar aos seus pais que mantinha já há muitos anos um relacionamento com Haru. “Eu acho que a minha mãe tinha uma ideia do que se passava, mas sempre achei que o meu pai jamais aceitaria”, disse Ryo. “Eu estava disposta a ser rejeitada pelos meus pais por causa da relação, mas sem a presença deles não tinha sentido nenhum realizar qualquer cerimónia”.

Para além deste obstáculo, acontece que no Japão o casamento entre pessoas do mesmo sexo não está ainda legalizado, embora algumas localidades o reconheçam. A concretização do casamento  parecia, assim, ainda mais complicada.

Um amor impulsionado pelo destino

Esta história de amor teve início há 13 anos, quando as duas se conheceram através de um amigo em comum. Começaram, então, a namorar, mas à distância, pois Haru morava em Tóquio e Ryo em Nagano. Até que o destino fez das suas! Um acontecimento terrível acabou por proporcionar o final feliz para o casal: a grandeza do terremoto e tsunami que atingiu o Japão oriental em 2011, de 9,0 MW, causando as ondas de maremoto que devastaram a região de Tōhoku, acabou por levá-las a tomar uma decisão muito importante: não queriam passar nem mais um segundo separadas.

Rolloid
Foto: Rolloid

Foi então que começaram a pensar em casar e a ideia foi ganhando cada vez mais força nas suas vidas, apesar de Haru esperar que fosse Ryu a responsável pelo pedido de casamento formal. Ryu, no entanto, continuava com dúvidas, pois tinha medo da reação da família. Mas em vão! A verdade é que ela acabou por descobrir que quem estava cheia de preconceitos era ela:“Os meus pais tiveram a oportunidade de experienciar uma cultura de mente aberta em relação ao grupo LGBT numa de suas viagens ao estrangeiro”, contou Ryo. “Desde então, tornaram-se mais flexíveis e, em parte devido a essa experiência, aceitaram-me facilmente”.

Correu tudo tão bem, que o pai de Ryu acabou por se revelar uma pessoa totalmente nova para ela. “Até então, não tinha muitas oportunidades para falar com o meu pai, mas depois de ter sido honesta com ele e começar a planear o casamento, começámos a conversar e a partilhar mais tempo juntos”.

Foto: Rolloid

A história, no entanto, não fica por aqui. Superado o obstáculo mais importante, havia ainda que lidar com “os outros”. Ryu fez, efetivamente, o pedido de casamento a Haru, mas a celebração teve de enfrentar outra dificuldade: pedir férias para o casamento no trabalho. Não foi fácil abordar esta situação. Além do mais, os japoneses vivem para trabalhar, pelo que pedir dias de imprevisto não é algo que seja bem visto.

Haru explicou: “Pedir dias para casar é geralmente bem aceite, uma boa notícia, comemorada por todos. No entanto, no meu caso, eu estava preocupada com o facto de as pessoas pensarem que eu estava a deixar o trabalho de lado para ir de férias“. Por isso, a jovem acabou por optar por falar apenas com os seus chefes diretos e companheiros mais próximos, excluindo os executivos da empresa. E foi assim que elas conseguiram tirar férias para o casamento, embora não enquanto licença de casamento como todos os casais heterossexuais. Mais uma barreira superada, tendo os colegas acabado por felicitar Haru pelo novo passo estava prestes a dar na sua vida.

Foto: Rolloid

E, finalmente, o casamento poderia agora ser organizado em Tokyo DisneySea. O local era perfeito para o casal, pois foi também aí que se tornaram noivas e fortaleceram a sua relação. E assim aconteceu o dia perfeito de Haru e Ruy,  com todos os detalhes previstos, incluindo os laços verdes e azuis que representaram as suas princesas favoritas: Ana e Elsa de Frozen. Por seu turno, o pai de Ryu acompanhou a sua filha até ao encontro de Haru. E assim deu-se o final perfeito desta história.

Foto: Rolloid

Esta história só vem reforçar a ideia de que lutar pelos nossos sonhos é fundamental na vida, especialmente se a nossa felicidade depender deles. Haru e Ryu superaram todas as barreiras e conseguiram o seu “felizes para sempre”.

Talvez também lhe interesse:

Dê-nos a sua opinião

Como conviver em casal: 5 passos para acertar no caminho para a felicidade
Como conviver em casal: 5 passos para acertar no caminho para a felicidade
Quando se vive com alguém, a grande pergunta é: o que pode ser feito para que corra tudo bem? E cá estamos nós, com as respostas.
Rectificação: a notícia sobre a princesa lésbica da Disney é falsa
Rectificação: a notícia sobre a princesa lésbica da Disney é falsa
O estúdio de animação rompe com os preconceitos e prepara uma revolução para 2018. Será Elsa, de Frozen, a eleita?
22 anos de amor: um casal com Síndrome de Down que quebra preconceitos e nos faz acreditar no "felizes para sempre"
22 anos de amor: um casal com Síndrome de Down que quebra preconceitos e nos faz acreditar no "felizes para sempre"
Maryanne e Tommy foram o primeiro casal com Síndrome de Down a casar do Reino Unido. Hoje são protagonistas de uma história muito feliz!

Faça gratuitamente e em 2 clicks um site magnífico para o seu casamento.

100% personalizável e com centenas de layouts para escolher Ver mais layouts >

A sua empresa também pode estar na Zankyou!
Se tem uma empresa de casamentos ou é um profissional do sector, Zankyou oferece-lhe a oportunidade de divulgar os seus serviços a milhares de casais que nos escolhem para organizar o seu casamento em 23 países. Mais informação