ModaLisboa Luz: todas as tendências Primavera/Verão 2018 da moda PT

A edição LUZ Primavera/Verão 2018 da ModaLisboa – que teve início no dia 5 com reflexões e debate na Estufa Fria e encerrou os desfiles ontem, Domingo – teve direito a uma nova casa: do Pátio Galé, a nossa Lisboa Fashion Week rumou ao Pavilhão Carlos Lopes, que se encheu de estilo durante estes últimos dias para receber o melhor da Moda em PT. Um espaço improvável, mas ideal para uma edição com um conceito totalmente em português, que convidou Lisboa a participar de uma forma mais activa e criativa na sua semana da moda e ofereceu aos múltiplos designers a oportunidade de apresentarem as suas colecções num local onde é possível conjugar a arquitectura moderna com os soalheiros e verdejantes jardins do Parque Eduardo VII.

Aqui na Zankyou, e sem mais demoras, queremos convidar-vos para uma curta viagem pelo que aconteceu nas passarelas durante estes quatro dias de celebração da criação artística dos nossos designers, repletos de luz, criatividade e inovação.

1º Dia de Desfiles

Os desfiles da Modalisboa Luz foram inaugurados no dia 6 com a apresentação da Patrick de Pádua no jardim do Pavilhão Carlos Lopes. O jovem designer apresentou uma colecção inspirada no Cante Alentejano de Vila Nova de São Bento, cruzando o streetwear com elementos e técnicas tradicionais. Destaque para as silhuetas desconstruídas, que variavam entre o justo e o oversize, assim como as sobreposições de materiais e a conjugação de cores fortes.

Patrick de Pádua | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Patrick de Pádua | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa

Ainda ao ar livre, seguiu-se a apresentação da colecção da marca Duarte (Ana Duarte), que nos transportou até ao exotismo da Índia. Com um conceito de sportswear luxury revelador de um equilíbrio entre um estilo desportivo e a qualidade, a estilista conjugou materiais naturais  – como sedas estampadas, algodões e linhos – com tecidos técnicos. Em termos de cores, a aposta recaiu em tons de lilás, violeta, rosa, laranja, esmeralda, azul marinho e preto.

Duarte | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Duarte | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa

A inaugurar a passarela, já dentro do Pavilhão, foram apresentados os trabalhos dos novos talentos da moda portuguesa – Sangue Novo – com uma nova forma de ver e interpretar o mundo da moda.

Sangue Novo – David Pereira | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa

Seguiu-se o desfile da criadora Kolovrat, que apresentou a colecção de menswear e womenswear onde continua a apostar na mistura de diferentes estilos e materiais. Peças assimétricas e oversized construídas a partir da junção e cruzamento de duas peças, casacos abertos nas costas, bordados e peças coloridas, em que o preto serviu de base para cores fortes, como o roxo e o vermelho, complementadas por elementos geométricos e padrões inspirados nos anos 70.

Kolovrat | Fotos: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Kolovrat | Fotos: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa

Na passarela foi depois apresentada a nova colecção de Valentim Quaresma, “Carnal”, inspirada por “pensamentos, sentimentos e sensações” e que surpreendeu pela ousadia de nos conduzir até ao universo berlinense do clube nocturno Berghain e para uma atmosfera onde é possível encontrar a fusão entre a luxúria e o romantismo, em ambiência de samurai, com peças longas e de construção detalhada, onde usou algodão, malha e brocados.

Valentim Quaresma | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Valentim Quaresma | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa

Para encerrar o dia, a colecção Whole Lotta Love” de Ricardo Preto. O criador procurou “o amor dentro de nós” e encontrou-o nas flores e animais, representadas em delicadas estampagens. A grande aposta para a próxima estação são as silhuetas trapézio e “fit and flare”, os tecidos fluídos e uma paleta de vermelho, amarelo e terra.

Ricardo Preto | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Ricardo Preto | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa

2º Dia de Desfiles

No segundo dia, o jardim do Pavilhão Carlos Lopes acolheu na Plataforma LAB duas estreias: Imauve e Carolina Machado.

A primeira marca, da designer  Inês de Oliveira, deu a conhecer a sua colecção “Birds of Paradise”, que conjugou peças com elementos militares, silhuetas rectilíneas, formas fluídas e transparências, tendo sido inspirada no filme “On The Milky Road” de Emir Kusturica, materializado num padrão de pássaros coloridos, representante da “incessante busca pela plenitude da natureza humana”. Em termos de paleta cromática, a aposta recaiu no verde azeitona, o amarelo torrado e o damasco.

Imauve| Fotos: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Imauve| Fotos: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa

Carolina Machado estreou-se na plataforma com a colecção “Rise”, inspirada no filme “Laurence Anyways” de Xavier Dolan, jogando com diferentes contrastes, nomeadamente silhuetas fluídas vs estruturadas e cropped vs longas, sugerindo peças longas em azul, petróleo, lilás, dourado e preto, com franzidos, smocks e mangas com volume, voltando a baralhar os conceitos do vestuário clássico masculino com peças mais femininas e cingidas ao corpo.

Carolina Machado Fotos: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Carolina Machado Fotos: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa

No espaço Garden seguiu-se a apresentação da colecção de David Ferreira, “Karyukai Fatum”, que veio mais uma vez comprovar o lugar ocupado pelo designer na moda portuguesa e que teve como ponto de partida os universos das Gueixas e do Fado. Sumptuosidade, luxo e uma incrível elegância são algumas das características que marcam esta nova colecção, assim como as habituais silhuetas volumosas e os adornos excêntricos, como penas de avestruz exóticas, que realçam a singularidade de peças que variam entre ajustadas a sobredimensionadas, confeccionadas em cetins de seda, tule e crepe em tons de azul, rosa, dourado, preto e vermelho.

David Ferreira | Fotos: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
David Ferreira | Fotos: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
David Ferreira | Fotos: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
David Ferreira | Fotos: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa

A apresentação seguinte coube ao colectivo Awaytomars, que deu a conhecer a quarta colecção resultante do seu projecto de colaboração com criativos de todo o mundo, através de modelos expostos em cima de caixas brancas em círculo. 718 designers de 85 países estiveram envolvidos no processo de co-criação da colecção Verão 2018 da marca, composta por peças minimalistas que exploram assimetrias e grafismos, marcadas por silhuetas oversized em tecidos de cetim e cores pastel, bem como padrões que lembram aguarelas.

Awaytomars | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Awaytomars | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa

Nuno Gama apresentou nesta edição uma colecção que teve como ponto de partida o azulejo, continuando a seguir a sua linha de homem ousada e extravagante tão característica do seu universo singular. Com a colecção “O Globalista”, o estilista português procurou desconstruir a rigidez da estrutura das peças e das matérias primas, jogando com os opostos «opaco-translúcido» e «curto-comprido». As peças – que ganharam um plus tridimensional com a forma como o criador colocou os modelos pintados com argila branca em peformances inesperadas – tiveram como ponto forte os estampados inspirados nos azulejos e detalhes como bordados, efeitos de favos de mel, nervuras e pregas. Mais uma vez os blazers, entre o opaco e o translúcido, dominaram a colecção, assim como as malhas inglesas.

Nuno Gama | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Nuno Gama | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Nuno Gama | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Nuno Gama | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa

O regresso de Aleksandar Protic, após três anos de ausência, brilhou com uma colecção requintada, “Deusas”, inspirada nas esculturas de Barbara Hepworth. A criadora trabalhou formas suaves e orgânicas em peças de execução irrepreensível que celebram a silhueta feminina, em paralelo com formas mais rígidas e geométricas, com as aberturas, pregas, drapeados e cintos que lhe são característicos. Sedas e algodões foram os seus materiais de eleição, numa paleta cromática de dourado, mostarda, azeitona, nougat, bronze, branco e preto.

Aleksandar Protic | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Aleksandar Protic | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Aleksandar Protic | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa

Uma viagem até Cuba é o que nos propõe a Cia. Marítima para o próximo Verão, com uma colecção repleta de peças frescas e versáteis, com múltiplos grafismos e estampagens coloridas inspiradas na arte deco da década de 1950 e na arquitectura, movimentos culturais e paisagens daquele país.  A conhecida marca brasileira de beachwear trabalhou peças-chave, como bodies, biquínis, kaftans kimonos, assim como vestidos longos e médios em tecidos leves e fluidos, com cores fortes e bem vivas a representar a beleza tropical. Mas há mais: croptops, decotes ombro a ombro e calças de cintura subida.

Cia. Marítima | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Cia. Marítima | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Cia. Marítima | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa

Conhecida por trazer à passarela caras conhecidas do grande público, a marca brasileira não quebrou a tradição e este ano contou com Sara Salgado.

Sara Salgado a desfilar pela Cia.Marítima na Moda Lisboa | Foto via Instagram @sarasalgado

Entretanto, Ricardo Andrez apresentou-nos “Machinist”, uma colecção de streetwear conceptualizada a partir do cenário artificial criado pelo naufrágio do navio japonês Reijin na praia da Madalena, V.N.Gaia, em 1988. Uma colecção repleta de cor, aplicações e misturas de materiais com diferentes texturas e brilhos, que inclui casacos, saias e calças oversized com padrões geométricos e tecidos metálicos.

Ricardo Andrez | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Ricardo Andrez | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Ricardo Andrez | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Ricardo Andrez | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa

Christophe Sauvat continua a apostar na estética ethnic-chic. Nesta estação viajou até ao litoral de Cassis, na costa francesa, numa busca pela  inspiração que desembocou numa colecção clássica e cool, sofisticada e descontraída, com detalhes requintados, prints florais e patchwork, vestidos compridos, tops e calças fluídas em popelinas de algodão ou seda.

Christophe Sauvat | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Christophe Sauvat | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Christophe Sauvat | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa

O segundo dia de desfiles da ModaLisboa Luz terminou ao som do cântico de pássaros e outros sons da natureza com a apresentação da colecção de Dino Alves, inspirada no “Silêncio” como forma de comunicar emoções. Para esta estação, o criador trabalhou peças depuradas, com ombros exagerados e linhas direitas, apostando em tons escuros mas fortes (preto e vermelho), mas também coordenados com o branco, lilás, rosa, amarelo, verde, laranja e bege. As peças assimétricas apresentavam barras e linhas de cor criadas através de debruns XL e tiras entrelaçadas ou soltas, que se transformaram visualmente em riscas. A terminar o desfile, algumas das modelos surgiram completamente tapadas de preto, da cabeça aos pés. Personificaram aquilo que o estilista considera ser o “silêncio”.

Dino Alves | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Dino Alves | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Dino Alves | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Dino Alves | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Dino Alves | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa
Dino Alves | Foto: Ugo Camera através do site oficial da Moda Lisboa

Fique por aqui para saber como foi o último dia de desfiles da Moda Lisboa, que terminou com as colecções de Luís Carvalho e Filipe Faísca, após três dias de muitas novidades, diversão e propostas para a próxima estação.

Se gostou deste post, inspire-se também noutras Semanas da Moda:

Contacte com as empresas mencionadas neste artigo

Dê-nos a sua opinião

Luminous Photography
Como descobrir qual é a melhor época para casar?
A melhor época para casar dependerá de cada casal, nomeadamente do que querem que aconteça no seu grande dia. Mas há alguns critérios que podem ser seguidos e que podem ajudar os noivos mais indecisos.
12 dos melhores espaços de casamento originais em Lisboa
12 dos melhores espaços de casamento originais em Lisboa
Hoje sugerimos-lhe os melhores espaços de casamento originais da capital e queremos saber a vossa opinião! Vamos sonhar em ser princesas por um dia?
Rui Cardoso Photography
Damas de honor: 10 coisas que TODAS devem fazer no dia do casamento dela!
O grande dia aproxima-se, todos os detalhes estão acertados e finalizados e vocês... São as damas de honor! Pois se querem que o casamento da vossa melhor amiga, prima ou irmã, seja um sucesso, então, há pelo menos 10 coisas que todas devem fazer! Vamos a elas?

Faça gratuitamente e em 2 clicks um site magnífico para o seu casamento.

100% personalizável e com centenas de layouts para escolher Ver mais layouts >

Quer divulgar a sua empresa na Zankyou?
Se tem uma empresa de casamentos ou é um profissional do sector, Zankyou oferece-lhe a oportunidade de divulgar os seus serviços a milhares de casais que nos escolhem para organizar o seu casamento em 23 países. Mais informação