Uma sessão pré-casamento! Esta jovem posou com os vestidos de noiva das suas três gerações passadas

O que faria se tivesse à sua disposição os vestidos de noiva das suas três gerações passadas? Se está um pouco perdida, estas correspondem à sua mãe, avó e bisavó. Se a isso adicionar o vestido do seu casamento, são quatro gerações! Segundo conseguimos saber através da ABC News, Colleen Dejno, uma jovem de 33 anos de Saint Paul (Minnesota, Estados Unidos), teve essa sorte. O resultado foi lindíssimo e, claro, nostálgico.

Jeannine Marie Photography|Patricia Cotter
Colleen Dejno e o seu futuro marido. Foto: Jeannine Marie Photography|Patricia Cotter

Tudo começou quando Colleen teve a consciência de um feito incrível: a sua mãe guardava o vestido de noiva da sua bisavó! Ela não fazia ideia de que esta obra antiga, com data de 1910, dormia esquecida no armário da mãe da protagonista. Foi então que soaram os seus alarmes de estilista amadora, tão alto que despertaram todos os vizinhos. “Pensei: Oh, meu Deus! Temos um vestido com 100 anos! Tenho de o ver!”, explicou a noiva ao media dos EUA. O que fazer?

As possibilidades de organizar algo com o vestido continuavam no tinteiro, mas tomou forma quando Colleen se lembrou que a sua mãe, Patricia Cotter, ainda guardava o vestido do seu casamento de 1973. Além disso, lembrou-se e pensou no vestido da sua avó, Edith Jane, conservado pela sua tia. Nessa altura, a ideia de uma sessão de fotos de casamento nostálgica materializou-se finalmente na sua mente inquieta.

Colleen vasculhou os álbuns e documentos da sua família até encontrar diferentes fotografias do seu passado. Entre elas, instantâneas dos casamentos das mulheres da sua família, bem conservadas apesar do pequeno maltrato que o tempo exerceu sobre elas. Além do mais, essa breve viagem ao passado permitiu-lhe recuperar complementos, objectos e elementos para ambientar as cenas com a ajuda de profissionais. Nesse momento, Jeannine Phol uniu-se à experiência. A fotógrafa seria encarregue de captar os instantes tal como aconteceu no passado. Para a representação, os salões que Colleen e a sua cara-metade utilizariam semanas depois para o seu casamento.

Jeannine Marie Photography|Patricia Cotter
Colleen Dejno/Edith Jane, avó de Colleen, com o seu marido em 1947. Foto: Jeannine Marie Photography|Patricia Cotter

Era a primeira vez que Pohl via algo assim na sua carreira: “Nestes tempos, as pessoas desfazem-se deste tipo de relíquias e não se apegam às heranças durante muito tempo”, explica. Por sorte, existem pessoas como Colleen que procuram preservar o passado para que as gerações vindouras conheçam e respeitem a história da família.

As fotografias recriando a cena nupcial da sua bisavó foram as mais especiais. Mesmo não conhecendo Mary, Colleen sabia que, mesmo ultrapassando os limites do mundo e do tempo, ambas mantinham uma conexão especial: “O meu passatempo é desenhar e ela era costureira, assim vestir o seu vestido e tirar as fotografias era uma maneira fresca de me conectar com ela”, disse. “Podia ver o vestido e imaginá-la executando cada ponto. Espanta-me ter sido ela própria a fazê-o”, afirma.

Jeannine Marie Photography|Patricia Cotter
Colleen Dejno/Mary, bisavó de Colleen, com o seu marido em 1910. Foto: Jeannine Marie Photography|Patricia Cotter
Além do mais, a mãe dela afirmou que “vê-la no meu vestido foi uma das coisas mais incríveis que já vi porque se parece muito comigo, para além do cabelo ruivo; realmente, podia ver-me a mim mesma, ao ter o mesmo penteado e o mesmo vestido”. Afirma que a experiência de ver a sua filha com o seu vestido foi como uma viagem no tempo alucinante. Por outro lado, também achou que era estranho “ver as fotos porque parecia a mãe de Colleen com um noivo diferente” devido à semelhança de ambas as noivas.
Jeannine Marie Photography|Patricia Cotter
Colleen Dejno/Patricia Cotter, mãe de Colleen, com o seu marido em 1973. Foto: Jeannine Marie Photography|Patricia Cotter

Mas isto não foi tudo. A jovem continuou a tirar recordações mas desta vez da família da sua cara-metade. Assim, pediu emprestado o vestido de noiva da sua futura sogra e tirou uma das fotografias com ele vestido para depois compará-lo. O noiva dela também participou.

Jeannine Marie Photography|Patricia Cotter
Colleen Dejno com o vestido da sua sogra de 1967. .Foto: Jeannine Marie Photography|Patricia Cotter

Se tivesse uma oportunidade como esta, aproveitaria? O passado existe para ser respeitado mas também para jogar com ele e homenageá-lo mais à frente!

Se gostou deste post vai também gostar de ler:

Dê-nos a sua opinião

Princesa surpresa: esta jovem conheceu um príncipe africano sem saber e casou-se com ele
Princesa surpresa: esta jovem conheceu um príncipe africano sem saber e casou-se com ele
E se lhe contássemos que a história de "Um Príncipe em Nova Iorque" é verdadeira, acreditaria? Leia esta história e tire as suas próprias conclusões!
Créditos: Dolce & Gabbana
Sapatos de casamento florais: aqui estão os mais belos da temporada
Sapatos de noiva floridos para celebrar a primavera. Dê vida ao seu look nupcial com este acessório!
Descubra os tipos de beijos e as emoções que despertam!
Descubra os tipos de beijos e as emoções que despertam!
Na comunicação não são necessárias palavras para expressar o que sentimos, mas sim acções que nos enchem de ternura e amor. Vai um beijinho?

Faça gratuitamente e em 2 clicks um site magnífico para o seu casamento.

100% personalizável e com centenas de layouts para escolher Ver mais layouts >

A sua empresa também pode estar na Zankyou!
Se tem uma empresa de casamentos ou é um profissional do sector, Zankyou oferece-lhe a oportunidade de divulgar os seus serviços a milhares de casais que nos escolhem para organizar o seu casamento em 23 países. Mais informação