7 Bons Motivos para Casar no Inverno

Sou do contra. Nasci do contra e morrerei do contra – nada a fazer. Portanto, se a ideia de casar não esteve nunca nos meus sonhos, – quem sabe um dia o moço me dá finalmente a volta – quando penso na parca possibilidade de o fazer, a única coisa que me ocorre é que gostava de me casar no Inverno!

A visão romântica da lareira acesa e das mantas nos joelhos, a decoração com cristais de gelo, o vestido branco mas de toque informal com lã… Enfim, estão a perceber o espírito?

Além do cenário bonito que se me pespega à cabeça, consigo ver toda uma série de vantagens em casar nesta época menos concorrida:

1. Não temos de rezar pelo bom tempo.

Não é uma incógnita: vai mesmo estar mau tempo. Seja frio, chuva ou vento já estamos a contar e portanto não é preciso acompanhar a meteorologia com terços na mão, pedir bruxedos que movam as nuvens negras ou entregar a alma a S.Pedro – nem repetirmos a nós próprios o mantra “casamento molhado, casamento abençoado”.

João Almeida FotografiaSolicite informação sobre “João Almeida Fotografia”
João Almeida Fotografia

2. Tudo à porta fechada.

Tendo em conta que é Inverno e já sabemos que vai estar mau tempo, o casamento passa-se todo debaixo de telha e sem janelas abertas a fazer correntes de ar. O que é maravilhoso para não deixar estragar o cabelo com uma rabanada de vento. Toda a gente sabe que taxa-noiva das cabeleireiras não é brincadeira e portanto é preciso manter o penteado – solteira ou já casada – pague substancialmente menos por um produto ou serviço do que uma nubente.

Aqueduto EventosSolicite informação sobre “Aqueduto Eventos”
Aqueduto Eventos

3. Ambiente pouco propício à kizomba.

Se estamos de mantinha no colo, com música ambiente serena – estão a ouvir o Let It Snow ao fundo?, cheiro a canela, chá e castanha assada, em amena conversa é mais difícil isto descambar para a dança da tarrachinha, do que num casamento de verão, em que já está tudo a levantar a saia, desapertar a gravata e descalçar os sapatos para dançar melhor. Certo?

4. Os convidados estão mais cobertos.

A roupa de Inverno tende a ser mais recatada. Tendencialmente, e em proporção ao frio que esteja, haverá menos refegos visíveis por causa de vestidos justos, de tecidos leves e menos decotes até ao joelho – ou saias até ao pescoço. O que ajuda a conter os esgares de desdém das convidadas mulheres, a manter o foco dos convidados homens e, não retira o protagonismo à noiva, evitando um movimento semelhante ao da Pippa, irmã da princesa Kate.

5. Menos concorrência.

No último fim de semana de Janeiro – ou coisa que o valha – o fotógrafo, a quinta ou hotel, o padre, a cantora lírica, – é mero exemplo – o DJ, o animador das crianças, o videógrafo, o operador de drone, a maquilhadora, a menina que agarra o vestido da noiva para ela ir à casa de banho e outros igualmente essenciais, estão todos com a agenda mais livre! Esperamos, enfim, que também se vá reflectir a maior disponibilidade no preço. Sobretudo da rapariga que agarra o vestido.

6. Os convidados não têm desculpa para não irem.

Estou a assumir que só convidamos quem queremos que vá, não a contar com os que desejamos que o carteiro perca o convite numa moita: como os vizinhos da tia-avó da prima, que os sogros insistem que têm de ir, porque também os convidaram a eles para o casamento da enteada. Pois bem, as pessoas que lá queremos mesmo, não estão cheias de casamentos e batizados nessa altura – portanto diminui a frequência da desculpa de “não tenho algum dos dois tipos principais de disponibilidade – tempo ou dinheiro”. Não colidir com as férias de Verão também é bom, que não obrigamos ninguém a perder aquele dia fenomenal de praia por nossa causa – o que é de valor para algumas pessoas que trabalham arduamente para o bronze, logo a partir de Maio e até princípios de Novembro…até o Sol se cansa deles.

João Almeida FotografiaSolicite informação sobre “João Almeida Fotografia”
João Almeida Fotografia

7. Menos comparações.

Ninguém vai dizer que a noiva da semana passada ia mais bonita porque não houve nenhuma na semana passada – nem no mês passado. Já nem se lembram bem da comida do último casório. E muito menos acham estranho a falta de investimento num belo descapotável para a chegada à igreja quando o mau tempo não o permite. Nem ninguém se importa se o espaço do copo d’àgua é maior ou mais pequeno quando em boa verdade queremos é estar todos juntinhos a aquecer-se – dentro dos limites da decência, entenda-se. E cresce o nariz à primeira que me disser que isso não interessa nada, que não queremos saber da opinião dos outros, nem nos interessa se o casamento é melhor ou pior que o da X ou do Y.

João Almeida FotografiaSolicite informação sobre “João Almeida Fotografia”
João Almeida Fotografia

Outras razões serão pertinentes para esta escolha das temperaturas mais gélidas para casar – e estão desde já convidados a enunciá-las em comentário – sobretudo se têm a experiência de ter casado nesta estação preterida dos noivos, mas estas ocorrem-me com alguma ligeireza. Também podia dizer que assim o aquecimento da noite de núpcias ainda vem mais a calhar, ou a lua-de-mel na época dourada das Caraíbas quando aqui anda tudo a bater o dente. Mas essencialmente a razão é aquela pela qual comecei: sou do contra. Nota-se muito?

Contacte as empresas mencionadas na reportagem:

Gostou deste artigo? Partilhe

Comentários (3)

Ana
15 de December de 2015

Eu casei no Inverno (também sou um bocadinho do contra) 🙂
Aqui fica o meu testemunho:
Mas informo que as razões acima descritas não se aplicam de todo, ora vejamos:
– Na noite anterior choveu “a potes” e no dia estava um Sol lindissimo, calor e um tempo primaveril
– O copo d’água (entenda-se o nome se água é o que menos se vê por lá) foi à porta fechada, mas o exterior também foi bastante solicitado
– Não houve kizomba, que não estava na moda na altura, mas houve Quim Barreiros e Apita o Comboio e todas as “cowboiadas” inerentes ás festas “normais”
– Os vestidos eram quase todos como os de verão e, os que não eram, foram ficando à medida que o ambiente ia aquecendo (com a tal água que pouco se viu)
– Esta sim… o espaço, fotógrafo e tudo o demais fica bastante mais em conta nesta altura 🙂
– Casando no inicio de Dezembro como eu, há sempre a desculpa do Natal, fim de ano e tal… mas convidando apenas quem queremos (e faz questão de estar presente) não houve cá desculpas para ninguém. Parece-me que o Pai Natal foi um bocadinho mais fraco para os convidados nesse ano… para mim foi bastante generoso e antecipado!
– As comparações fazem-se sempre, tenhas ido ao último casamento há uma semana ou há um ano… mas há menos hipótese de comparação se forem feitos em épocas diferentes

Responder
Cristiana Simoes
23 de December de 2015

Olá Ana!
Obrigada pelo seu testemunho 🙂
Os meus melhores cumprimentos,
Cristiana Simões,

O Biquíni Dourado
2 de November de 2016

Eu acho que, para me casar, seria no Inverno. Transpiro muito para ser no Verão 😉 Ia passar o tempo todo a retocar a maquilhagem! hahaha! E no Inverno parece ter outro encanto, não sei!

Um beijinho,

http://obiquinidourado.blogspot.pt/

Responder

Dê-nos a sua opinião

Faça gratuitamente e em 2 clicks um site magnífico para o seu casamento.

100% personalizável e com centenas de layouts para escolher Ver mais layouts >

Trabalha no mundo dos casamentos?
Se tem uma empresa de casamentos ou é um profissional, Zankyou ofrece-lhe a oportunidade de divulgar os seus serviços a milhares de casais que nos escolhem para organizar o seu casamento em mais de 19 países. Mais informação