As 5 discussões que TODOS os casais têm durante os preparativos para o casamento

As 5 discussões que TODOS os casais têm durante os preparativos para o casamento

Todos os preparativos do casamento exigem tempo. As decisões empilham-se até perder de vista e. muitas vezes, os mais pequenos detalhes tornam-se em grandes discussões... Mas não stresse: é perfeitamente normal! E nós, hoje, dizemos-lhe quais delas são mais comuns

As 5 discussões que TODOS os casais têm durante os preparativos para o casamento
Foto: Luís Patrício Fotografia
  • Planear o Casamento
  • Conselhos
  • Msn
  • Casal

Organizar um casamento é um verdadeiro emprego a tempo inteiro. E, claro, inúmeras vezes, acumula-se com a rotina diária: o emprego propriamente dito, a lida da casa, a vida social… Enfim, com todo o dia-a-dia!

Todos os preparativos exigem tempo, desde escolher o local perfeito para o copo-de-água, passando pelo menu, até à lista de convidados e sem esquecer, o vestido de noiva! As decisões empilham-se até perder de vista e o risco de se tornarem completamente maníacos é muito alto! Muitas vezes, os mais pequenos detalhes tornam-se em grandes discussões – e sim, é perfeitamente normal! – e assim acontecem, pelo menos, 5 discussões que todos os casais têm durante os preparativos para o casamento!

Quer saber quais são? Então, vamos lá! (É provável que já tenham tido qualquer uma destas conversas ou, se não tiveram, é provável que venham a ter…)

1. O orçamento: “mas afinal, quanto custa?”

É o ponto sensível de qualquer casamento – e é uma palavra/expressão que vos acompanhará pela vida fora. É o que vos permitirá casar num luxuoso hotel de 5 estrelas, ou, por outro lado, num salão de eventos, provavelmente mais barato, mas nem por isso menos elegante.

Não quer perder as últimas novidades para o seu casamento?

Subscreva a nossa newsletter

Por norma, também aqui se discute se a despesa final ficará a cargo de ambos ou se, porventura, poderão contar com a ajuda de cada uma das respetivas famílias.

Em ambos os casos, o ideal é que, calmamente, conversem sobre o assunto e que estabeleçam o que é fundamental e prioritário e o que não o é de todo. Só assim, em jeito de resolução de compromisso, conseguirão equilibrar razão e emoção, e principalmente, a dois! Um casamento mais comedido, não tem porque não ser espetacular!

Considere contratar um wedding planner – que dispõe de mais recursos e mais agilidade quando é dos preparativos do casamento que falamos – ou, por outro lado, não dispense a ajuda de quem já casou e que às vezes, por muito que pareça “impertinente”, só tem, ou quer dar, um bom conselho!

E se há 4 erros que não podem cometer, no que diz respeito ao orçamento do casamento, então já sabe: serenidade acima de tudo!

guardar
Foto: Thrall Photography

2. A lista dos convidados: “nem por cima do meu cadáver!”

Ah… A lista de convidados! (Que, diga-se, está intimamente ligada ao orçamento…)

Um convidado gera um custo médio de 70€ a 130€ – e é impossível ignorar isso! Afinal, estão certos que querem convidar o vizinho Manuel, sempre tão prestável, mas ao qual só dizem “bom dia” todas as manhãs? Um casamento com centenas de convidados não é a absoluta garantia de que todo o casamento, toda a cerimónia, todo o copo-de-água seja uma imensa festa. Aliás, aperceber-se-ão mais tarde, com alguma pena, que não dedicaram tempo suficiente a ninguém e que não celebraram tempo suficiente com ninguém!

Para um convidado, também não há pior sensação do que se sentir… A mais!

Sejam cuidadosos na escolha e não se sintam obrigados a convidar toda a gente! Concentrem-se nos afetos, nos momentos em que precisaram de determinada pessoa: ela estava lá ou não?..

Existem 9 pessoas que NÃO têm de convidar para o vosso casamento! Não as percam de vista e verão que facilmente a lista de convidados ficará repleta… De quem realmente importa!

guardar
Foto: SaveMoment’s

3. O ritual: “casar pela igreja, sim ou não?”

É uma das primeiras grandes decisões que qualquer casal tem de tomar. Se professam diferentes religiões, o ideal é sempre uma resolução de compromisso. Se fizerem questão da cerimónia de cariz religioso, podem sempre tentar perceber se há possibilidade de levarem a cabo uma cerimónia mista, onde ambas as vossas religiões tenham destaque e sejam contempladas.

Já se, por outro lado, um professa, de facto, uma religião, mas o outro não, a cerimónia mista continua a ser uma opção a considerar, mas jamais devem admitir que essa é a única opção, em qualquer um dos casos!

Acima de tudo, o importante é não forçar qualquer decisão que vá contra os princípios e as crenças do outro: aceitar as diferenças que vos caracterizam – e que sempre vos caracterizaram, não pensem que elas surgem, como que por magia, aquando dos preparativos para o casamento! – é meio caminho andado para construir um amor que dure a vida inteira!

Conversem, com calma, e de certeza que chegarão a uma solução ótima!

Leia também: Os momentos em que as noivas têm direito a ficar stressadas

guardar
Foto: Miguel Matos Fotografia

4. A intervenção do noivo: “eu faço tudo sozinha!”

Como mulheres, fomos abençoadas com uma atenção aos detalhes, muitas vezes, desmesurada! E a par disso, também somos verdadeiras máquinas de organização e de gestão e nas nossas mãos, tudo fica, simplesmente, perfeito!

Ok, agora a sério: de facto, as mulheres prestam mais atenção aos detalhes. E, de facto, tendemos a ser mais organizadas. Mas no que diz respeito aos preparativos para o casamento… Admitamos: às vezes, exageramos um bocadinho. Só um bocadinho, mas exageramos!

Sonhamos com um casamento digno de um conto de fadas e exigimos ao nosso par que se comporte à altura de um príncipe: que escolha atoalhados e baixelas connosco… Que, inconscientemente, adivinhe qual o modelo do nosso vestido de noiva e que delire com ele! Que saiba distinguir um azul-celeste do azul-marinho!

Provavelmente, ele sentir-se-á mais à vontade se tivermos expectativas realistas e se lhe sugerirmos que nos suporte em “causas” mais realistas também. O importante é que, o apoio mútuo esteja lá. Independentemente de quem cuida do quê!

Numa fase inicial, para evitar acusações e discussões desnecessárias – e se se sentirem confortáveis – estabeleçam se vão dividir as tarefas ou, se por outro lado, preferem que um de vocês lidere as “operações”. Assim, tudo estará bem, como é suposto estar, e não viverão os preparativos para o casamento a pensar no suposto desinteresse do par.

Leia também: 15 típicas coisas que as noivas esquecem durante a organização do casamento: prevenir é melhor que remediar!

guardar
Foto: Marlene Batista Photography

5. As escolhas: “quem será o padrinho/madrinha de casamento?”

É muito comum, em todas as cerimónias, determinadas pessoas terem “papéis” especiais. Os padrinhos de casamento, as damas-de-honor, os meninos das alianças… Não passam de pessoas, com papéis especiais!

Deverão ser escolhidas a dedo, mas escolhê-las não é tarefa fácil. O ideal, como sempre, é um consenso – um consenso entre o casal e não sujeito a consulta! Nunca poderemos agradar a gregos e troianos, mas, também, qualquer que seja a vossa decisão, ela não deve ser tomada em função de terceiros – sejam eles quem forem. Desde que a vossa decisão seja equilibrada, e é importante que o seja, os demais têm mais é que a respeitar!

guardar
Foto: Luís Patrício Fotografia

Se neste momento, se debatem com a organização do vosso casamento, é provável que já tenham tido qualquer uma destas conversas: como é que deixaram as vossas diferenças de lado e seguiram em frente?

(E se ainda não falaram sequer sobre qualquer um destes assuntos, não os temam! Momentos de confronto, todos os casais têm e o importante é que os ultrapassem e que antes disso, lidem com eles de forma razoável e natural.)

Se gostou deste post talvez lhe interesse:

 

Contacte com as empresas mencionadas neste artigo

Thrall Photography Fotógrafos e vídeo
Luís Patrício Fotografia Fotógrafos e vídeo
Miguel Matos Fotografia Fotógrafos e vídeo
Marlene Batista Photography Fotógrafos e vídeo
SaveMoment's Fotógrafos e vídeo